Saúde da família
Em: 28 de maio de 2017

28.05 – Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher

Banner-saude-mulher

 

Dia 28 de maio é o Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher e nessa data vale lembrar de cuidados com a saúde feminina. Além da consulta e exames periódicos, é preciso manter hábitos saudáveis para uma melhor qualidade de vida.

Confira abaixo alguns exames que são importantes para a saúde da mulher.

Exames de rotina para todas as idades: glicemia, colesterol total e suas frações, triglicerídeos, creatina (avaliação da função renal), TGO e TGP (avaliação da função hepática), hemograma e exame de urina.

Alguns cuidados devem ser tomados antes do início da vida sexual, como tomar vacina contra a infecção por HPV, vírus responsável pelo condiloma e a maioria dos cânceres de colo do útero e vacina contra Hepatite B.

O câncer de colo de útero é o 2º mais frequente em mulheres segundo o Instituto Nacional de Câncer – INCA.

Após o início da vida sexual, o exame de Papanicolau entra na lista dos rotineiros para avaliar o colo uterino para a prevenção de lesões. Para essa finalidade e também para prevenir miomas, cistos nos ovários, infecções, endometriose, e outros problemas podem ser realizados ultrassom pélvico transvaginal e de mamas, colposcopia, vulvoscopia, captura hibrida e exames de sangue.

Antes da gravidez é preciso estar com os exames em dia. O médico pode solicitar a realização de histerossalpingografia – exame de raios-x realizado com contraste – e uma histeroscopia – exame endoscópico para avaliar o sistema reprodutivo.

Exames para avaliar a imunidade contra doenças como rubéola, toxoplasmose e citomegalovirose também são importantes, pois essas enfermidades podem prejudicar o bebê.

O pré-natal deve ser realizado para redução dos riscos para mãe e bebê. Podem ser realizados exames como hemograma para detectar anemia, tipagem sanguínea, glicemia de jejum, avaliação da função tireoidiana (TSH) e ultrassom transvaginal ou pélvico e as sorologias: sífilis, HIV, toxoplasmose, rubéola e hepatites B e C.

Aos 30 anos as investigações aumentam. É importante realizar mamografia quando se tem histórico de câncer de mama na família. Também há indicação de realizar uma densitometria óssea, para verificar se há um início de osteoporose. A tireoide também merece atenção nesta fase, devendo a mulher observar a presença de nódulos no pescoço.

Com 40 anos a mamografia entra para a lista de exames obrigatórios para detecção de câncer de mama. A avaliação cardiológica inicia nessa época, devido às alterações hormonais que potencializam o risco de doenças cardiovasculares. O ultrassom de tireoide também começa a ser realizado nessa fase.

Aos 50 anos ou quando com a chegada da menopausa a o risco de osteoporose aumenta, sendo necessária a densitometria óssea. O risco de doenças do coração também aumenta assim como o de cânceres de mama, cólon e colo uterino, por isso é importante continuar a realizar mamografia, Papanicolau e exames de sangue. A colonoscopia também é indicada para identificar tumores no intestino.

Após os 60 anos os exames são os mesmos, porém mais frequentes. É preciso ficar atento para prevenir a hipertensão arterial e as doenças do coração. Outros exames que não podem deixar de ser realizados são: dosagem do colesterol, glicemia, cálcio e hemograma.

Fonte: Minha Vida